Se livrando das algemas, representando como sair das dívidas definitivamente.

Para ilustrar o caminho definitivo que vou te mostrar de como sair das dívidas, vou te contar a história de Maria.

Era 24 de janeiro de 2018 e finalmente Maria (vou usar o nome Maria para preservar a pessoa real que me inspirou nesse artigo) havia liquidado todas as suas dívidas.

Pagou a última prestação de um empréstimo que pegou ainda em 2016 e sentiu aquele alívio de saber que a partir daquele dia não haveria mais ninguém cobrando nada dela.

Ou será que haveria?

Para responder essa pergunta eu volto alguns anos e compartilho contigo um pouco mais da história da Maria.

Desde sua adolescência, quando começou a receber seu primeiro salário, sempre quis fomentar seus sonhos imediatos e nunca se privou de nada.

Roupas, festas, viagens, carros, enfim, comprava tudo o que estava com vontade sem se preocupar muito com o futuro.

Tinha dinheiro no bolso? Então utilizava ele como fazia mais sentido no momento.

Ela foi crescendo e seu comportamento se mantendo. Fazia jus ao dito popular “dinheiro na mão é vendaval”.

Porém, quando chegou à vida adulta, suas vontades tomaram proporções maiores e para supri-las ela precisava de mais dinheiro.

Por mais que ela aumentasse seu rendimento, o dinheiro não dava, pois seu consumo acompanhava qualquer crescimento na sua renda.

Fazia R$ 1.000,00? Usava os R$ 1.000,00. Fazia R$ 5.000,00? Usava os R$ 5.000,00, ou mais.

Foi então que numa de suas trocas de carro ela percebeu que não teria dinheiro suficiente. “Queria dar o passo maior do que a perna” e aí teve que recorrer a empréstimo.

Não, a opção de não trocar de carro estava fora de cogitação para ela. Ela PRECISAVA trocar.

Qual foi sua primeira opção? Os pais, claro.

Que pai se nega a ajudar seu filho, não é?!

E aí o pai e a mãe que já tinham feito de tudo para criarem Maria, muitas vezes tirando da sua própria boca para dar à ela, se viram novamente com uma filha incapaz de caminhar com as próprias pernas.

Mesmo assim, emprestaram dinheiro para ela e Maria conseguiu trocar seu carro.

Mas o comportamento de Maria não permitia que essa fosse a única situação que precisaria recorrer à empréstimos para satisfazer suas vontades.

Foi então que a fonte “pais” secou e ela se viu na necessidade de ir atrás de bancos e de outras instituições, começando, definitivamente, a fazer dívidas.

Ainda era jovem quando fez seu primeiro de muitos empréstimos, e já nem tão jovem quando quitou seu último.

Por isso, analisando apenas a história com as informações que passei, você considera possível que essa seja a última vez que Maria pegará um empréstimo ou que fará dívidas?

Possivelmente não, certo?

A não ser que…

Maria tenha mudado sua MENTALIDADE.

Ou você pensa que continuar fazendo as mesmas coisas que ela fazia no passado dará resultados diferentes sem ela ter mudado nada?

Claro que não! Pensar dessa forma é insanidade, como já dizia Einstein.

O “Segredo”

Volte e meia aparece um economista, um educador financeiro, um consultor de finanças pessoais na TV falando que O SEGREDO para sair das dívidas é pagar aquelas que têm mais juros primeiro e ir eliminando uma a uma até se livrar de todas.

Inclusive sugerindo que você pegue empréstimo com juros menores para pagar as dívidas com juros maiores.

Você já ouviu isso, não é?!

Mas isso não resolve a CAUSA, apenas a CONSEQUÊNCIA, pois dívidas são resultados de comportamentos impulsivos e sem planejamento!

É possível esperar galhos verdes e frondosos numa árvore que está doente?

Claro que não!

Então porque as pessoas esperam enriquecer com suas mentes enfraquecidas e permitindo que pensamentos limitantes impeçam elas de viverem o melhor das suas vidas?

Esperam por eventos únicos capazes de transformar sua realidade, como é o caso de quem joga na loteria, e muitas vezes condicionam sua felicidade ou seu enriquecimento ao momento que ganharem, sendo que as chances são mínimas.

“Ah, quando eu ganhar na Mega Sena eu vou viver de renda, vou viajar o mundo, vou comprar tudo o que eu quero, vou ajudar os outros, blá, blá, blá…”

Vai nada! Isso é papo furado, pois se você mantiver a mesma mentalidade estará rapidamente no mesmo lugar que está hoje.

Veja o caso de astros de basquete dos Estados Unidos, 60% deles ficam falidos em até 5 anos após se aposentarem. Mesmo aqueles que acumularam quantias superiores a 100 milhões de dólares.

Com você vai ser diferente? Pode até ser, mas para isso você precisa estar preparado.

É necessário cortar as ervas daninhas e nutrir essa árvore com pensamentos empoderadores, positivos, quebrando crenças e fazendo com que realmente haja um local muito mais fértil para que a riqueza possa germinar.

Tirei isso da minha cabeça?

Claro que não.

Thomas Corley passou cinco anos observando e estudando os hábitos de pessoas ricas e pobres e chegou à seguinte conclusão: “Eu percebi, não é tanto o que está acontecendo no mundo dos negócios, são os hábitos diários, as atividades, que são a razão de sua riqueza ou sua pobreza”.

Quer conhecer mais desse estudo? Então leia o livro dele intitulado “Rich Habits – the daily success habits of wealthy individuals”, só disponível em inglês.

Em 2017 Richard Thaler ganhou o prêmio Nobel de economia com o resultado de seus estudos sobre economia comportamental, falando que em decisões financeiras as pessoas deixam muitas vezes a racionalidade de lado e agem por emoção.

E tem mais uma porção de pessoas falando sobre mentalidade, emoções e hábitos como a solução para nossos reais problemas. Um dos maiores nomes desse assunto é Tony Robbins (caso não o conheça, indico tirar um tempinho para conhecê-lo).

T. Corley estudou hábitos de pessoas ricas, R. Thaler emoções ligadas à decisões financeiras, mas onde tudo isso se forma, hábitos e emoções?

Acertou quem pensou ou disse que é na nossa mente.

Ela é que nos avisa como devemos agir baseada em nossas experiências passadas, vividas na pele ou não, e que irá nos levar à algum resultado, seja ele satisfatório ou não.

“Ok Guilherme, entendi que é a mente que determina nossos resultados. Mas como sair das dívidas de maneira definitiva?”

Essa é uma excelente pergunta.

Continue lendo para conhecer a resposta.

1) Tome consciência

Isso mesmo, o primeiro passo é tomar consciência.

Consciência das suas dívidas?

Também, mas o mais importante é tomar consciência do que o dinheiro significa para você.

Esse é o primeiro passo para qualquer mudança que você quiser fazer em sua vida, tomar consciência.

Enquanto você não tomá-la, não saberá efetivamente qual é o caminho que sua mente está fazendo para atingir os resultados que tem hoje.

Sem saber o caminho, como que você pode olhar para os lados para saber se há outro melhor, mais fácil de ser trilhado?

Para começar a tomar consciência, complete as seguintes frases à você mesmo(a) (escreva o quanto quiser em cada frase):

Importante: escute seu inconsciente e perceba toda informação que ele lhe trouxer, sem julgamento e sem querer entender, simplesmente anote o que ele lhe traz.

> Para mim, dinheiro é …

> Para mim, riqueza é …

> Pessoas ricas são …

Essas três primeiras frases permitirão você entender qual o significado que você dá para o dinheiro, para a riqueza e para pessoas ricas.

Muitas pessoas usam o dinheiro sem limites por quererem se afastar ou comprovar conceitos internos que têm sobre essas três coisas: dinheiro, riqueza e pessoas ricas.

Exemplos:

  • “dinheiro é a raíz de todo o mal”;
  • “riqueza é para quem já nasceu em família rica”;
  • “pessoas ricas são mesquinhas e provavelmente fizeram algo errado para conseguirem tanto dinheiro”;
  • “sou gastador”;
  • “nasci pobre e esse é meu carma”;
  • “se eu ficar rico as pessoas vão se afastar de mim”;
  • “se eu ficar rico as pessoas vão sentir inveja de mim”;
  • “para eu ficar rico terei que trabalhar muito”;
  • “pessoas ricas não dão atenção para sua família”.

E por aí vai.

Talvez nesse momento sua mente esteja continuando essa lista. Aproveite as informações que ela está lhe trazendo e comece a anotá-las, agora mesmo.

Pegue uma folha e uma caneta ou abra o bloco de notas no seu computador ou celular e ponha para fora.

Caso queira algumas ideias, baixe essa lista de crenças e verifique aquelas que fazem sentido para você.

Isso faz parte da tomada de consciência. Se sua mente está lhe trazendo é porque algum significado tem.

2) Vá mais fundo

Descendo um pouco mais a escada para o nosso porão, ou seja, para nossa essência, convido você a preencher algumas frases, que vão um pouco mais fundo.

Isso tudo para que você saiba definitivamente como sair das dívidas para nunca mais voltar.

Mas só responda se você realmente quer começar a entender seus comportamentos financeiros para poder mudá-los e ir no caminho da sua prosperidade.

Caso contrário, continue fazendo o que já faz, mas pelo menos pare de reclamar de dinheiro ou das dívidas, pois é você quem não quer mudar.

As frases são:

> As razões pelas quais eu não consigo ou não poderei ficar extremamente rico(a) são …

> Algumas possibilidades de recusa em ser rico(a) ou passar pelo processo de tentar ser rico(a) são …

> Minhas maiores preocupações e medos em relação ao dinheiro e à riqueza são …

> A pior coisa em relação ao dinheiro é …

Surpreso com as respostas?

Se você preencheu todas elas, parabéns por se permitir.

Pode comemorar consigo mesmo, pois você deu 2 passos muito importantes para se libertar das algemas da escassez e começar a trilhar o caminho da abundância e da prosperidade.

3) Recondicionando sua mente

Provavelmente agora você tem uma série de novas informações sobre o dinheiro e a riqueza disponíveis no seu consciente, certo?

Deve ter coisas boas que apareceram e coisas nem tão boas.

Relacione os 3 pensamentos mais fortes que vieram para você e que você os considera negativos, limitantes, aqueles que realmente lhe incomodaram mais, que geraram desconforto, e anote em algum lugar.

Faça isso agora.

Agora que você tem eles visivelmente à sua frente, faça o seguinte, ressignifique-os, reescreva eles de uma forma positiva, empoderadora.

Como? Dou alguns exemplos abaixo.

“Dinheiro é a raíz de todo o mal” -> “Dinheiro me ajudar a realizar meus sonhos”

“Riqueza é para quem já nasceu em família rica” -> “Riqueza é para quem se permite recebê-la”

“Pessoas ricas são mesquinhas e provavelmente fizeram algo errado para conseguirem tanto dinheiro” -> “Pessoas ricas de verdade são boas e ajudam muito os outros”

“A pior coisa em relação ao dinheiro é que eu não tenho o suficiente” -> “Em relação ao dinheiro, ainda não tenho o suficiente, mas estou me colocando em sintonia com a abundância e logo terei o quanto quiser”

Se você estiver realmente comprometido em mudar sua mente, pode fazer essa ressignificação com todas as frases limitantes que você escreveu.

Aproveite a mudança

Depois de realizar os 3 passos, como você está se sentindo? Compartilhe comigo nos comentários para eu saber.

Saiba que esse caminho é parte fundamental para você sair das dívidas e não voltar mais.

O importante nesse momento é não se julgar pelos pensamentos que teve. Só você sabe que eles existem.

Caso você possa, deixe suas anotações em um lugar visível para que essas novas ideias sejam incorporadas em seu dia-a-dia com mais velocidade.

E lembre-se sempre, quem está no comando é você, e não o dinheiro. Faça com que ele seja seu aliado e não um problema na sua vida.

Que a prosperidade e a abundância estejam cada dia mais presentes nos seus dias.