Como psicóloga, professora, amiga, irmã, sempre ouço pais reclamando que seus filhos não os obedecem, não fazem aquilo que eles pedem (ou mandam).

Essa reclamação sempre me intriga e procuro saber um pouco mais.

Pais reclamam que seus filhos não saem da frente da TV, que não desgrudam do celular, que não comem comida e só querem porcaria, que vão dormir muito tarde e por aí vai…

As reclamações são diversas, mas há algo em comum na maioria delas: a falta de consciência dos pais sobre o real motivo do comportamento dos filhos.

A maioria deles, pais, não entende a responsabilidade que tem por aquele comportamento do seu filho.

Se você se interessa por saber como REALMENTE fazer seu filho fazer o que você pede, então leia esse post até o final de lhe mostrarei o caminho.

Você que reclama que seu filho não lê, que só quer ficar no celular me responda:

Qual foi a ultima vez que seu filho te viu lendo um livro? E quando foi a ultima vez que ele te viu no whatsapp?

Te incomoda o fato do seu filho assistir muito desenho ou jogar muito vídeo game? E o que você faz quando está em casa a noite? Liga a TV pra ver o jornal e a novela?

Seu filho se alimenta mal? Não come salada nem frutas? E você, o que coloca no seu prato?

Quer que seu filho coma a sopa enquanto você come batata frita?

Ah! Mas ele é pequeno nem entende ainda. Eu como escondido.

Digo que estou tomando água, quando estou tomando refrigerante.

Ok! Pois então saiba que mentir também é um comportamento que se aprende.

São esses os exemplos que você que dar para seus filhos?

Deixa eu te contar uma coisa: sabe aquela famosa frase “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço”? Ela não funciona!

Crianças aprendem pelo exemplo.

E mais do que isso, crianças aprendem pelo exemplo das pessoas mais importantes de suas vidas, daqueles que ela mais admira.

E quem são essas pessoas? Vocês! Sim! Vocês, os Pais.

Você que come chocolate escondido, você é o exemplo!

Você que atende o telefone e manda dizer que não está, você é o exemplo!

Você que dirige depois de beber, você é o exemplo!

Você que não se exercita, não lê, não come frutas, não larga o celular… Você é o exemplo!

É esse exemplo que você quer ser?

São esses comportamentos que você espera do seu filho?

Criança aprende pelo exemplo, seja ele bom ou ruim.

Criança admira e imita seus pais, sejam eles bons exemplos ou não.

Elas também aprendem com o exemplo de professores, amigos e cuidadores, mas principalmente na primeira infância o papel primordial é o dos pais.

Sempre que falo sobre isso lembro de um trabalho que eu realizei há alguns anos com o objetivo de melhorar o relacionamento entre pais e filhos.

Uma das atividades que mais causava impacto e comoção nos pais era um exercício de tomada de consciência.

Nele eu pedia que o participante dividisse a folha em quatro partes e escrevesse em cada uma das partes respectivamente:

  • o que meus pais faziam para mim que eu gostava,
  • o que meus pais faziam para mim que eu não gostava,
  • o que eu faço para os meus filhos que eles gostam e
  • o que eu faço para os meus filhos que eles não gostam.

Logo após fazer o exercício muitos pais começavam a chorar.

Por quê?

Porque se davam conta de que estavam repetindo com seus filhos aquilo que seus pais faziam e que eles não gostavam.

Gritar, bater, não dar atenção, deixar o filho de lado porque tem outras coisas mais importantes para fazer…

Eles aprenderam com seus pais.

Aprenderam pelo exemplo.

Mas por que repetir justamente aquilo que seus pais faziam e que ele não gostavam?

Pela falta de consciência de estar repetindo o comportamento dos pais. Porque não foram ensinados a refletir sobre a melhor forma de agir. Apenas copiaram inconscientemente.

Agora pense você: o que você disse que jamais faria como seus pais e está fazendo exatamente igual?

O que você tem feito em sua vida e que são coisas que você critica nos outros?

Imagino que muitas, não é mesmo?

E como mudar?

Primeiro, tomando consciência de que comportamentos são esses e em que momentos eles acontecem.

Uma ótima maneira de ter força de vontade para mudar é pensar: é esse o exemplo que quero dar para meus filhos?

Você é o espelho deles! Na verdade eles são seu reflexo.

Crianças são esponjas absorvendo tudo o que você faz e fala.

Então comece a pensar melhor naquilo que você faz e fala.

É fácil mudar? Claro que não? Eu mesma me pego fazendo com meu filho várias coisas que eu detestava (e ainda detesto) na minha mãe.

A que mais me incomodava nela, por exemplo, era ela não ter tempo pra mim porque estava sempre fazendo o serviço da casa.

Ela não mudou. Continua assim até hoje. Eu já me conformei que ela não vai mudar.

Mas eu posso mudar. Então, sempre que posso deixo a casa, a louça, e tudo de lado para poder dar atenção para meu filho.

Eu quero ser a mãe que eu gostaria de ter.

Então, aquilo que eu amava nos meus pais copio sem problemas, mas aquilo que eu não gostava neles tento fazer diferente.

É obvio que não vou deixar de dar bronca apenas porque não gostava de levar bronca.

Se meu filho tiver um comportamento inadequado vou repreender. Vou educá-lo, ensiná-lo o que pode e o que não pode fazer.

Mas não vou gritar, não vou bater e vou procurar não perder a paciência (o que para mim é muuuuito difícil), principalmente quando sei que o motivo para minha falta de paciência não é o meu filho, são outras coisas.

É! A maioria dos pais desconta nos filhos suas raivas, medos, frustrações, que nada tem a ver com as crianças.

Desconta a raiva do chefe, o cansaço com o trabalho, o estresse do trânsito. Mais uma vez por falta de consciência disso.

Então dá próxima vez que chegar em casa estressado deixe o estresse da porta para fora. Tem um ser em desenvolvimento que precisa de toda a sua paciência, do seu amor, do seu carinho e de seus bons exemplos.

E o que cargas d’água tudo isso tem a ver com um blog de educação financeira?

TUDO A VER!

Comportamentos financeiros são comportamentos aprendidos.

Comportamentos de consumo são comportamentos aprendidos.

Ou você acredita que nasceu querendo comprar tudo o que vê? Nasceu com a necessidade de trocar de carro todo ano? Nasceu acreditando que precisa de roupa nova toda vez que vai sair?

É claro que não!

Seus hábitos de compras, suas necessidades de consumo, tudo foi sendo moldado por suas experiências.

Ou você pensa que seu filho querer um brinquedo novo toda vez que vai ao shopping nada tem a ver com a sacola de compra que você carrega toda vez que sai dele (do shopping)?

E quando você diz pro seu filho que não tem dinheiro pra comprar doce para ele e logo depois tira o dinheiro da carteira para comprar cigarro, acredita que não há contradição? Pensa que a criança não percebe que você está gastando o dinheiro que disse não ter?

Ou então quando você diz que não tem dinheiro para o tal brinquedo caro, mas acaba comprando porque não aguenta mais ouvir tanta insistência, ou ver ele jogado no chão da loja aos berros, o que pensa que está ensinando para seu filho com isso?

É obvio, se você diz para a criança que não tem dinheiro e compra algo mesmo assim, você está dizendo para ela nas entrelinhas: “mesmo que você não tenha dinheiro você pode comprar o que quiser”.

E o que isso pode resultar no futuro?

Um adulto consumista e endividado que gasta mais do que ganha? Muito provavelmente.

Mas e então, como ensino para meu filho a ter bons hábitos financeiros?

Da mesma forma que ensina seu filho a escovar os dentes todos os dias, da mesma forma que o ensina a chegar no horário na escola, ou seja, da mesma forma que ensina outros comportamentos e hábitos.

E de que forma faço isso? Uma das formas mais eficazes é novamente dar o exemplo.

Ao dar o exemplo você mostra a ele a importância daquilo que quer ensinar.

Você mostra que não é tão difícil assim conseguir. Às vezes pode até ser fácil.

Você mostra que o bom hábito pode se tornar natural e não uma tortura.

É assim quando você ensina a importância da higiene, não é? Ou você faz seu filho tomar banho todo dia e você não toma?

Então é assim que tem que ser com o dinheiro.

Quer que seu filho aprenda a poupar? Mostre como.

Quer que seu filho seja menos consumista? Seja menos consumista.

Quer que seu filho tenha uma mentalidade financeira próspera? Pare de dizer que dinheiro é uma coisa ruim, que está relacionado à problemas.

Quer que seu filho tenha a possibilidade de ganhar muito dinheiro no futuro? Pare de falar para ele que ganhar dinheiro é difícil, que dinheiro não nasce em árvore.

Pare de dizer que sempre está sem dinheiro e mostre a ele como ganhar dinheiro.

Mostre a ele como economizar, como investir, como ter um consumo consciente.

Mostre a ele que é possível mostrando que VOCÊ FAZ.

Quer que seu filho faça o que você pede? Então dê o exemplo.

Seja para seu filho o exemplo que gostaria de ter.

Seja para o seu filho a mãe/o pai que gostaria de ter.

Por fim, deixo um vídeo para você que me emociona e que traduz muito do que eu escrevi para você.

Aproveite e, caso esteja confortável, deixe seu comentário sobre o que achou do meu texto.