Criança comendo algodão doce, ilustrando o uso da mesada com "besteiras".

O assunto “dar mesada pros filhos” por si só já gera um monte de dúvidas na cabeça dos pais, não é!?

Quando começar? Quanto dar? Qual a melhor forma? Qual a frequência de pagamento? E por aí vai…

Mas aí, quando vocês conseguem definir as respostas pra essas perguntas aqui de cima e resolvem começar com a mesada, seus filhos pegam o dinheiro e torram tudo em balas e chicletes.

Ou em qualquer outra coisa diferente do que você tinha imaginado.

Então, é natural que você comece a se questionar: “será que já era hora de começar a dar mesada pros meus filhos mesmo?”, “será que dei demais?” ou tantas outras perguntas que podem passar pela sua cabeça.

O fato é que quando se fala em educação financeira infantil, o ato de dar mesada deve estar acompanhado de algumas orientações financeiras.

Dar a vara e ensinar a pescar

Crianças aprendendo a pescar, sendo orientadas pelo pai.

Pra justificar essa minha afirmação, pense na seguinte situação:

Você tem 18 anos, ainda não sabe dirigir, e seu tio chega pra você com a chave de um carro e diz: “Agora que você fez 18 anos, pode sair com o meu carro dar uma volta”.

Ele simplesmente entrega a chave na sua mão e entra do lado do passageiro pra pegar uma carona contigo.

Você mal sabe ligar o carro. Imagina acelerar, pisar na embreagem, frear, trocar de marcha, etc.

Na primeira arrancada o carro já engasga e morre e seu tio diz: “Eita sua(seu) barbeira(o), pode desligar o carro e deixar que eu dirijo”.

Seu tio pensou que só porque você tinha feito 18 anos já sabia dirigir e não precisava de qualquer orientação.

Exatamente a mesma coisa que você faz quando dá mesada pros seus filhos sem explicar como eles devem usar o dinheiro.

Na primeira oportunidade eles vão fazer o quê? Torrar tudo (ou guardar tudo) sem equilíbrio algum porque eles simplesmente nunca tinham tido contato com o dinheiro antes.

Ou se tinham, não era de uma forma tão direta e que ficasse totalmente sob a responsabilidade deles.

Portanto, pra evitar uma frustração sua e uma experiência negativa (muitas vezes traumática) pros seus filhos, dê a vara (o dinheiro) e os ensine a pescar (como usar ele com equilíbrio).

E é justamente isso o que vou te mostrar nesse post, 3 dicas pros seus filhos usarem a mesada que eles recebem com inteligência e equilíbrio.

As dicas são:

  1. Ensine seus filhos sobre o dinheiro
  2. Oriente o uso da mesada em potes
  3. Seja(m) exemplo de controle financeiro e uso equilibrado do dinheiro

1) Ensine seus filhos sobre o dinheiro

Mulher dando moedas na mão do filho e o ensinando sobre o dinheiro.

O que eu quero dizer com isso é que pra dar mesada você precisa, antes, já ter ensinado aos seus filhos o que é o dinheiro, pra que ele serve e como ele chega até a família.

É necessário que as bases já estejam bem entendidas pra que a mesada seja uma estratégia potencializadora da vida financeiras das crianças.

Em outras palavras, a educação financeira dos seus filhos não pode começar com a mesada.

Ela tem que ser iniciada com conceitos mais simples e fáceis, como os que eu apresento no eBook “Educação Financeira Infantil” (pode adquirir ele clicando aqui), pra que o início da vida financeira deles não seja um desastre, podendo causar danos difíceis de serem reparados até a idade adulta.

Conversem sobre dinheiro em família, contem de onde ele vem, como ele é utilizado em casa e pergunte pras crianças o que eles entendem sobre o assunto.

Permita que eles se relacionem com o dinheiro no dia-a-dia pra que aos poucos eles se sintam mais familiarizados com esse recurso e você possa avançar para a mesada.

Seguindo esse caminho, mesmo que você não siga a dica #2 que vou compartilhar aqui abaixo, é bem possível que seus filhos já usem o dinheiro que vão receber com mais equilíbrio e cuidado.

Mas ainda não é garantido.

Pra que eles saibam realmente o que fazer e como usar a mesada em detalhes, indico você seguir a dica #2.

2) Oriente o uso da mesada em potes

Dinheiro sendo colocado num pote, indicando um caminho pras crianças gerenciarem a mesada.

Esse conceito de dividir o dinheiro em potes foi apresentado por T. Harv Eker pra orientar o controle financeiro de adultos.

Como eu uso a metodologia dele e sei que funciona, resolvi fazer algo parecido e mais simples pra você aplicar com seus filhos.

Pode fazer eles colocarem o dinheiro em potes de verdade (de vidro ou de plástico), nomeados conforme vou apresentar aqui abaixo.

São duas fases: a primeira com 2 potes e a segunda com 4 potes (pra adultos são 6 potes).

1ª Fase – 2 potes

2 potes pra distribuição da mesada.

Você deve orientar seus filhos a seguirem essa primeira fase quando eles começarem a receber mesada, independente da idade (eu indico começar com 6 anos).

Eles começaram a receber com 6 anos? Começa na primeira fase.

Eles começaram a receber com 10 anos? Começa na primeira fase.

Eles começaram a receber com 12 anos? Começa na primeira fase.

É importante que antes de ir pra segunda fase seus filhos tenham ficado pelos menos 12 meses na primeira e tenham mais de 10 anos.

Isso porque em 12 meses eles vão se adaptar bem à essa divisão e depois vai ficar mais fácil deles aumentarem a quantidade de potes sem perderem o controle.

E é importante que eles tenham pelo menos 10 anos porque antes disso, por algumas limitações cognitivas da idade, ainda não vão conseguir entender bem o porquê dos 4 potes.

Pois bem, essa primeira etapa consiste neles distribuírem o dinheiro da mesada nesses 2 potes:

  1. Pote Desejos
  2. Pote Diversão

POTE DESEJOS

Do valor recebido com a mesada, 60% deve ir pra esse pote, sendo que ele tem o objetivo de financiar os desejos individuais dos seus filhos.

Ou seja, aqui é que eles devem poupar o dinheiro que vai servir pra comprarem algo que supera o valor de uma única mesada.

Por exemplo: recebem R$ 100,00 de mesada e querem comprar algo de R$ 800,00.

O importante aqui é que seus filhos consigam o que querem pelo esforço deles mesmos, sabendo que são capazes de planejarem, de se esforçarem e de conquistarem o que desejam.

POTE DIVERSÃO

Nesse pote seus filhos devem colocar 40% do valor recebido com a mesada.

É esse dinheiro que eles vão usar pra se divertirem no dia-a-dia.

Ir ao cinema, comprar um doce, dormir na casa de um amigo, sair comer uma pizza, comprar uma pipa, etc.

São coisas que vão além do que a família fornece e são desejos individuais dos seus filhos.

É importante que eles realmente “torrem” mensalmente o que estiver nesse pote pra sentirem que o esforço de financiar seus desejos não os impede de aproveitar a vida.

Como se fosse a recompensa por estarem poupando.

2º Fase – 4 potes

Bom, se seu filho já tem mais de 10 anos e ficou pelo menos 12 meses na primeira fase, está na hora de aprimorar um pouco a distribuição do dinheiro da mesada.

Sugiro esse avanço pra que você comece a introduzir outras questões que vão ajudar, e muito, a vida financeira dos seus filhos quando eles forem adultos.

E você já vai entender o porquê.

Pois bem, nessa segunda fase haverá a manutenção dos potes DESEJOS e DIVERSÃO, com outros percentuais, e a introdução de mais 2, MEU DESENVOLVIMENTO e DOAÇÃO.

Vamos entender em detalhes o que são esses 2 novos (os percentuais que vão pra cada pote estarão abaixo das explicações).

POTE MEU DESENVOLVIMENTO

O dinheiro destinado à esse pote deve ser usado pra que seus filhos busquem aprendizados que vão além da escola e que geram interesses individuais neles.

Claro que você pode pensar que essa é sua responsabilidade enquanto mãe ou pai.

No entanto, sugiro que você deixe isso com eles pra que aprendam, desde cedo, a investirem em si mesmos e aprendam o que realmente querem aprender.

Você deve orientar que eles usem o dinheiro desse pote com livros, eventos que eles tenham interesse e tudo o que pode desenvolvê-los como pessoa ou estimular algum interesse específico que eles têm.

POTE DOAÇÃO

Bom, falar do pote doação é um pouco desafiador, pois a maioria dos adultos ainda não entende sua importância.

Ainda não doa nada do seu dinheiro e quer começar a doar? Então ajude a ODPH a partir de R$ 50,00 mensais clicando nesse link (eu ajudo a instituição há mais de 5 anos).

No entanto, como o assunto aqui é a educação financeira dos seus filhos, vou direto ao ponto.

Eles devem doar o dinheiro colocado nesse pote pra ajudar o próximo ou alguma causa que eles acreditam.

Não importa pra quem será dado, o importante é que eles deem sem esperar nada em troca.

Isso permitirá que seus filhos comecem a enxergar além do próprio umbigo e se interessem, ainda mais, em fazer o bem.

Divisão da mesada na 2ª fase

Agora que você conhece os 4 potes da segunda fase, vamos à divisão dos valores:

  • Para o POTE DESEJOS – 50% do valor da mesada;
  • Para o POTE DIVERSÃO – 35% do valor da mesada;
  • Para o POTE MEU DESENVOLVIMENTO – 10% do valor da mesada;
  • Para o POTE DOAÇÃO – 5% do valor da mesada.

Uma última consideração antes de irmos pra dica #3: considero altamente indicado seus filhos terem os potes MEU DESENVOLVIMENTO e DOAÇÃO, mas entendo se você não concordar.

Caso você realmente pense que eles não são necessários, pelo menos garanta que suas crianças tenham o DESEJO e o DIVERSÃO.

3) Seja(m) o exemplo de controle financeiro e uso equilibrado do dinheiro

Pra detalhar o que quero dizer nessa dica #3, quero explicar o porquê de ter escrito, no começo da dica, seja(m) com o “m” entre parênteses.

Tem aquele “(m)” porque se você é casada(o), ou tem um relacionamento sério com outra pessoa, VOCÊS DOIS(duas) precisam ser o exemplo pros seus filhos.

Não é só um ou só outro, são os dois.

E pra isso acontecer é necessário união da vida financeira do casal.

Ou seja, é preciso que vocês administrem o dinheiro de vocês juntos, como uma família.

Isso porque a melhor forma de ensinar as crianças é por meio do exemplo dos pais. O mesmo vale se você é mãe ou pai solteiro(a).

Se você estiver tentando introduzir a educação financeira infantil na vida dos seus filhos, mas estiver com sua vida financeira toda bagunçada, o resultado que você vai alcançar será muito distante do que espera.

Portanto, se unam e mostrem pros seus filhos que saber gerenciar o dinheiro é algo positivo e que dá segurança e liberdade pra vocês.

Se não sabe ao certo por onde começar ou como administrar o dinheiro em casal, adquira meu eBook “Das Dificuldades Financeiras Ao Enriquecimento Da Família” clicando aqui nesse link.

Ele também serve caso você seja solteira(o). É só desconsiderar as partes que falo pros casais.

Resumo

Pois bem, se você dá mesada pros seus filhos, mas não quer que eles torrem o dinheiro com “besteiras”, espero que esse post tenha te ajudado.

Basta você seguir essas 3 dicas que é certo que eles vão usar o dinheiro que receberem de forma equilibrada e segura.

Pra refrescar sua memória, as 3 dicas são:

  1. Ensine seus filhos sobre o dinheiro
  2. Oriente o uso da mesada em potes
  3. Seja(m) exemplo de controle financeiro e uso equilibrado do dinheiro

Espero que você consiga segui-las e fazer com que a vida financeira de toda a sua família seja realmente fantástica.

Gostou do post? Tem outras dúvidas sobre educação financeira infantil? Deixe seu comentário abaixo pra eu poder te ajudar.