Dinheiro brotando do chão, mostrando os resultados de um bom investimento de curto prazo.

Para justificar o tema desse post, “o melhor investimento de curto prazo pra você ter”, quero compartilhar contigo em poucas linhas um dado estatístico bem importante.

Em uma pesquisa realizada pela Anbima em 2018, 92% dos brasileiros não pouparam ou investiram qualquer dinheiro, nem um centavo (dinheiro guardado no cofrinho não serve) naquele ano.

Tomando como base a população economicamente ativa do Brasil, em torno de 105 milhões de pessoas, isso significa dizer que 96,6 milhões de brasileiros terminaram o ano de 2018 financeiramente igual ou pior do que começaram.

É preocupante, não é?!

Como essas pessoas e famílias vão conseguir financiar os sonhos de uma casa própria, de um carro novo, de uma viagem, da aposentadoria ou pagar uma boa escola para os filhos?

Se olharmos para os motivos que as impedem de poupar vamos perceber que dois dos mais importantes são a falta de dinheiro e a falta de um objetivo específico para esse dinheiro que será guardado.

“Se eu não sei exatamente pra que estou guardando, então pra que guardar?”

É esse questionamento que faz a relação desta introdução com o título desse post, pois eu quero, nas próximas linhas, te mostrar que a melhor forma de começar a poupar e investir é colocando objetivos de curto prazo e, pra isso, nada melhor do que saber qual é o melhor investimento para esse fim.

Portanto, se você faz parte dos 92% que ainda não poupam, ou se você já poupa mas não sabe onde investir seu dinheiro no curto prazo, então esse post é para você.

Antes de investir a curto prazo comece a poupar

Vamos supor que você faça parte desses 92%, a primeira coisa que você tem que fazer pra esse post fazer algum sentido na sua vida é conseguir gastar menos do que ganha, concorda?

Se não sobrar nada, com o que vai investir e pra que saber o melhor investimento de curto prazo?

Pra que você consiga poupar, e pra eu não ser repetitivo, sugiro que leia esse post, pois ele te mostra como fazer sobrar dinheiro sem muito sacrifício, apenas controlando alguns gastos.

Além de controlar seus gastos, é importante que você adquira os hábitos corretos que vão fazer você aumentar ainda mais a sobre de dinheiro no final do mês.

Só a partir do momento que você tiver uma quantia disponível para investir é que esse post vai fazer sentido pra você.

Comece por objetivos de curto prazo

Se você chegou até aqui eu entendo que sua conta tem um valor disponível para investir, e isso é fantástico.

E para que o restante do post continue fazendo sentido pra você, estabeleça seus objetivos financeiros.

Por que eu sugiro começar com objetivos de curto prazo?

Primeiro, porque geralmente eles são rapidamente atingidos (por serem de curto prazo) e isso faz com que você veja sua conquista em pouco tempo, reforçando seu hábito de poupar e permitindo que novos objetivos sejam planejados.

Segundo, porque é a partir de objetivos de curto prazo que você vai começar a dar segurança financeira para a sua vida e da sua família, por meio do fundo de emergência.

Terceiro, porque eles geralmente são mais baratos e, consequentemente, mais fáceis de serem atingidos.

Como curto prazo entenda uma janela de 3 a 12 meses.

Inicialmente, sugiro que você tenha apenas 2 objetivos ou sonhos de curto prazo, para facilitar sua conquista, sendo um a construção do seu fundo de emergência e um outro da sua escolha.

Fundo de emergência

O que é isso e por que ter um?

O fundo de emergência nada mais é do que uma quantia que você tem guardada para cobrir despesas inesperadas que podem aparecer no seu dia-a-dia.

Por exemplo, o conserto de um carro, a troca de um eletrodoméstico, o conserto de alguma coisa na sua casa, a perda do seu emprego, etc.

O que mais você vai ver por aí é a relação entre o fundo de emergência e o desemprego, mas não é só isso, ok?!

Pois bem, pra facilitar o cálculo, a maioria dos especialistas diz que você deve ter nesse fundo o suficiente para suprir as despesas da sua casa durante 6 meses.

Ou seja, se os gastos mensais da sua casa giram em torno de R$ 5.000,00, você precisa ter no seu fundo de emergência R$ 30.000,00.

Isso garante a segurança da sua família durante um período caso todos fiquem desempregados.

Fala-se em 6 meses (às vezes até mais) porque considera-se esse um período suficiente para algum membro da família conseguir uma recolocação no mercado de trabalho ou iniciar um próprio negócio.

Vou te mostrar aqui abaixo como fica o cálculo para você chegar lá, no entanto, depois disso vou fazer um comentário importante para deixar a formação desta reserva mais leve.

Vamos lá, pra você formar esse fundo, minha indicação é que você poupe nele mensalmente de 2% a 5% de tudo o que sua família recebe como renda.

Sugiro de 2% a 5% pra que você ainda consiga ter dinheiro disponível pra financiar seu outro sonho e sua aposentadoria.

Se vocês recebem R$ 6.000,00, vão poupar de R$ 120,00 a R$ 300,00 por mês.

Nesse caso, o fundo de emergência estará totalmente formado num prazo mínimo de 8 anos e máximo de 21 anos.

“Guilherme, mas você disse que esse deveria ser um projeto de curto prazo, e que isso significa no máximo 12 meses.”

Você tem toda a razão.

Então o que fazer para fazer ele ser de curto prazo?

1) Poupando mais.

Ou vendendo algum bem, como um carro, ou outras coisas que não são essenciais para sua família.

Faça qualquer coisa que te permita ter dinheiro rápido (de forma legal) e que você possa investi-lo nessa sua reserva de emergência.

Caso essa opção não seja a melhor pra você, tenho mais uma.

2) Mantendo suas aplicações mensais de R$ 300,00 por 8 anos.

Por mais que fuja do curto prazo e se torne algo de longo prazo, o importante é que em um ano você vai ter R$ 3.600,00 guardado e que já poderão suprir alguma emergência que apareça na sua vida.

Isso sem contar o rendimento que esse valor vai te gerar depois que começar a aplicar no investimento de curto prazo que vou te sugerir mais aqui adiante.

Nesse caso, não se esquente tanto com o prazo, mas sim com a manutenção da sua aplicação mensal.

E mesmo que ele seja formado em até 8 anos, deixe esse dinheiro no investimento de curto prazo para que você possa usá-lo assim que alguma situação inesperada acontecer.

O outro objetivo

Ele pode ser uma viagem, a compra de alguma coisa específica ou qualquer outra coisa que você queira realizar em até 12 meses.

No entanto, saiba que definir objetivos não é apenas pensar “quero viajar para a Disney com minha família”.

Defina o que você quer em detalhes, saiba os valores envolvidos para realizá-lo e estabeleça um prazo para conquistá-lo.

Feito isso, o ato de poupar terá mais sentido e será mais motivador.

Tenho um material fantástico, que eu mesmo uso para definir meus objetivos, que deixo disponível aqui nesse link pra você baixar de graça e poder utilizá-lo também.

Agora sim vamos entrar no tema principal do post e entender algumas coisas relacionadas à investir a curto prazo e descobrir qual o melhor investimento para isso.

O que considerar antes de investir a curto prazo

Quando se fala em investir a curto prazo, você tem que ter em mente que isso significa ter o dinheiro disponível com facilidade para quando precisar, o que o mercado financeiro chama de liquidez.

Ou seja, a aplicação precisa ter alta liquidez pra que você possa ter o dinheiro na sua mão quando precisar, certo?

Até aqui tudo bem.

No entanto, tenho que te dizer que liquidez e rentabilidade são coisas que geralmente andam em sentidos opostos.

Quase sempre produtos com alta liquidez rendem menos que produtos com baixa liquidez.

Para você entender isso, vamos supor que eu seja produtor de batata e você quer investir um dinheiro em mim em troca de parte da minha produção, ok?

Você chega pra mim e fala: “Guilherme, quero investir R$ 500,00 na sua produção de batata, mas quero poder colher o que eu tiver direito a hora que eu quiser. Quantas batatas você me garante por mês?”

Ou seja, você quer alta liquidez, colher batatas a hora que quiser.

Eu vou responder: “Consigo garantir 5 batatas por mês, que é minha produção mínima, e talvez você leve uma de brinde se a produção for muito boa, mas é só ‘talvez’.”

Perceba que quando se quer alta liquidez, fica difícil o “produtor” planejar sua produção e garantir uma grande quantidade de “batatas”, que supere o mínimo.

Agora, se você falar que vai buscar a produção apenas daqui 1 ano, eu vou conseguir me planejar e te entregar a maior quantidade de batatas possível, provavelmente muito mais do que apenas 5 por mês.

Por isso, quando se fala em investimento de curto prazo, você tem que abrir mão de uma ótima rentabilidade para poder ter seu dinheiro disponível com rapidez.

Só como curiosidade, você vai conseguir retornos melhores quando sua aplicação atender esses 4 fatores abaixo:

  1. Baixa liquidez;
  2. Longos períodos de aplicação (acima de 2 anos);
  3. Grande quantia inicial para aplicação (quanto maior, melhor);
  4. Mais risco envolvido.

À medida que você vai desconsiderando um fator ou outro, suas chances de ter grandes retornos vai reduzindo.

Agora chega de ladainha e vamos revelar o segredo mais aguardado…

Melhor investimento de curto prazo

Quando pensei em escrever esse post, combinei comigo mesmo que traria informações claras e bem fáceis para você entender o porquê da minha escolha.

E é isso mesmo o que vou fazer aqui adiante.

Quero te provar com números e dados reais que o caminho que vou sugerir realmente é o melhor.

Para isso, fiz simulações pra aplicações de 2 a 12 meses, e pra todas eu tive o mesmo resultado.

Vale a pena eu mencionar uma coisa, minha comparação ficou restrita à poupança e ao Tesouro Direto porque são os produtos mais conhecidos das pessoas e que oferecem 3 coisas muito importantes:

  1. É possível investir com valores abaixo de R$ 100,00;
  2. Possuem alta liquidez, sendo que o dinheiro demora no máximo 2 dias úteis para estar à sua disposição (no caso do Tesouro Direto);
  3. São muito fáceis de aplicar.

Existem outras opções para investimento de curto prazo e com baixo valor de aplicação (menos que R$ 1.000,00)?

Até existem, mas nem sempre estão disponíveis para períodos menores que 1 ano e, se estiverem, terão rendimentos baixíssimos.

É o caso de CDBs, LCIs e LCAs que os bancos oferecem e que muitas pessoas investem.

Em todos os casos você estará atrelado à um prazo mínimo de aplicação e, geralmente, à baixa rentabilidade do próprio produto por causa do prazo curto.

Outra possibilidade são os fundos de investimentos, mas que geralmente não proporcionam rendimentos tão atraentes.

Voltando à poupança e ao Tesouro Direto, quero esclarecer que fiz simulações para aplicações mensais de R$ 100,00, R$ 500,00 e R$ 1.000,00 e o resultado foi o mesmo.

Fiz também a simulação de aplicar R$ 1.000,00 e deixar o dinheiro lá parado por qualquer período entre 2 e 12 meses e o resultado também foi igual às simulações anteriores.

Pois bem, o melhor investimento de curto prazo para você ter que te dará liquidez, boa rentabilidade e baixo valor de aplicação é o TESOURO SELIC (uma das modalidades do Tesouro Direto).

Veja na tabela abaixo o comparativo entre ele e a poupança para investimentos mensais de R$ 500,00.

A última coluna da tabela mostra em quanto o Tesouro rende mais do que a poupança.

Mesmo que você tenha que pagar imposto de renda ao investir em Tesouro Direto e na poupança não, o Tesouro ainda é mais vantajoso.

E mais uma informação importante, o Tesouro Direto, qualquer um deles, tem rentabilidade diária, ou seja, o valor investido sofre valorização ou desvalorização diariamente, de acordo com seu preço de mercado.

Já a poupança tem rentabilidade mensal, o que quer dizer que um dinheiro aplicado hoje só irá render quando ele completar 1 mês aplicado, daqui 30 dias.

Caso você queira tirar o dinheiro nesse meio tempo, seu dinheiro não terá rendido nada na poupança, sendo que no Tesouro você terá recebido um proporcional pelos dias que ele ficou aplicado.

E por que o Tesouro Selic?

Caso você já tenha investido em Tesouro Direto, vai saber que existem vários produtos diferentes, não é!?

Mas por que o melhor investimento de curto prazo é o Tesouro Selic e não outro?

Como o próprio nome já indica (Tesouro SELIC), esse título é atrelado à variação da taxa básica de juros brasileiros, chamada de SELIC.

Isso quer dizer que para você perder dinheiro a SELIC tem que ficar abaixo de zero, coisa pouco provável no Brasil na próxima década.

Ou seja, no Tesouro SELIC você terá rendimentos diários com base na taxa SELIC, que sempre fica acima da inflação. Com isso, seu dinheiro ganhará valor ao longo do tempo e garantirá seu poder de compra no futuro.

E mais, essa aplicação pode ser feita com menos de R$ 50,00 e o resgate, quando necessário, demora de 1 à 2 dias para estar na sua conta corrente.

Por isso ele é o mais indicado quando pensamos em investimento de curto prazo.

Mesmo que sua rentabilidade não seja assim uma maravilha, ela é suficiente para superar os locais mais procurado pelos brasileiros que guardam algum dinheiro, a poupança e o cofrinho.

Conclusão

Não importa se você está entre os 92% que não poupam ou se você já é um poupador, lembre-se sempre de estabelecer objetivos para o dinheiro que você guarda.

No início, comece a definir objetivos rápidos de serem atingidos e comece a aplicar o dinheiro para conquistá-los em investimento de curto prazo.

Como a melhor opção, invista em Tesouro SELIC, um dos produtos do Tesouro Direto.

Ele reúne alta liquidez, baixo investimento inicial e alta facilidade de encontrá-lo no mercado financeiro, seja pelo seu banco ou por uma corretora.

Importante: priorize investir em Tesouro Direto por uma corretora que não cobe taxas. Existem diversas no mercado, tal como a ModalMais (que eu uso).

Mantenha-se disciplinada(o) nas suas aplicações e veja seus objetivos serem conquistados ao longo do tempo.

Isso, por si só, fará você fazer o que tanto sonha realizar.

Qual(is) é(são) seu(s) objetivo(s) e quando vai começar a investir para alcançá-lo(s)? Deixe seu comentário aqui abaixo.