Martelo do juiz representando as leis da riqueza.

Você acredita que enriquecer é pra qualquer um?

Já vou te antecipar que eu acredito que não.

E eu digo isso por um motivo bem específico: nem todo mundo está disposto a seguir as 6 leis da riqueza que vou compartilhar contigo aqui abaixo.

“Por quê, se uma das coisas que as pessoas mais querem é enriquecer?”

Porque seguir elas exige esforço e muita confiança em si mesma(o).

Só que sabe a coisa boa de tudo isso?

Que no começo você só precisa do esforço, pois a confiança você vai adquirindo ao longo do caminho.

E o primeiro passo você já deu, que foi abrir esse post e se interessar pelo assunto. Agora é apenas uma questão de você dar o segundo passo e começar a implementar as leis da riqueza na sua vida.

Então vamos à elas…

As 6 Leis da Riqueza

1) Não se preocupe com o que as outras pessoas pensam

Se preocupar com a opinião dos outros nos leva a comprar roupas de marca, carros de luxo, uma casa maior do que precisamos, a contrair dívidas ou empréstimos pra fazer viagens que não podemos ou pra ir a restaurantes chiques que não cabem no nosso bolso.

Faz querermos viver uma vida que não é nossa e que geralmente não vai nos trazer a felicidade que procuramos.

Ou ainda, faz não colocarmos ideias em prática pela preocupação de como os outros irão nos julgar.

Isso acaba nos trazendo dor, stress e frustração, e acabamos deixando passar um tempo precioso que poderia estar sendo usado na construção dos nossos sonhos.

Portanto, não dê ouvidos ao que falam de você.

Tenha confiança em suas decisões, em suas ideias e persista até que a mensagem que você quer passar chegue nas pessoas que você deseja.

2) Se cerque de pessoas felizes, positivas e que te apoiam

Eu estive cercado de pessoas negativas uma boa parte da minha vida (algumas inclusive são da família) e hoje eu percebo como isso me limitou.

Eu pensava que era forte e que poderia rebater essa negatividade com meu “escudo de positividade”.

Mas a verdade é que isso exigia muito da minha energia, sendo que eu poderia direcionar ela pra coisas que realmente pudessem alavancar a minha vida.

Foi então que eu tomei a decisão de procurar aquelas pessoas que amam a vida, que acham que tudo é possível e que se sentem abençoadas por tudo o que acontece com elas.

Confesso que não encontrei muitas nos meus círculos de amizades, mas as que eu encontrei fazem muita diferença em quem eu sou hoje.

Como dica, fique muito atento ao seu ambiente.

Observe como você se sente quando está perto das pessoas que você convive mais?

Se sente mal? Então limite a quantidade de tempo que você aceita passar com elas, que parecem que sugam sua vida.

Se não forem da sua família ou amigos próximos, não faça esforço pra estar com elas e, sempre que possível, evite esse contato.

Se sente bem? Então passe a maior parte do seu tempo ao lado dessas pessoas, compartilhando suas ideias e trocando suas experiências.

Caso você tenha poucas delas na sua vida, procure-as em outros lugares.

Talvez um(a) vizinho(a), um colega de trabalho, um amigo que há muito tempo você não vê, um parente distante.

E sempre tenha em mente o conselho de um dos maiores gurus do desenvolvimento pessoal do mundo, Jim Rohn

3) Tome cuidado, muito cuidado, com quem você escolhe pra casar

Puxa, esta lei é realmente importante!

Esse tipo de atitude tem relação direta com a segunda lei, de cercar-se de pessoas felizes, positivas e otimistas.

Se você escolher a pessoa errada pra se casar, pra passar o resto da sua vida, e os dois não tiverem objetivos semelhantes ou modos parecidos de encarar a vida, você estará criando uma vida de tortura.

É fácil conhecer alguém que casou por culpa ou porque já estava há tanto tempo junto que o único caminho era casar.

Você conhece alguém que passou por isso?

Geralmente esses casais, que casam nessas circunstâncias, têm cerca de zero coisas em comum e a vida que vão ter juntos será, muito possivelmente, de muitas discussões e brigas porque a motivação principal pra essa união não foi o amor de um pelo outro.

Resultado disso?

Uma dificuldade monstruosa, praticamente impossível, de enriquecer e de ser feliz.

Por isso, jamais se mantenha numa relação desgastante e muito cansativa.

O sucesso pode ser 1.000 vezes mais difícil quando você está com a pessoa errada.

Post relacionado: 3 Motivos Pelos Quais Você Deve Casar E Ter Filhos Antes Do Planejado. (O #3 é o melhor)

Banner de divulgação do ebook dinheiro em casal, como organizar sua vida financeira com menos de 3 minutos por dia.

4) Seja confiante, tenha orgulho de quem você é e simplesmente ame a si mesmo

Quando as pessoas falam em ser confiante parece tão fácil, não é?!

Mas a realidade é que ser confiante é um desafio dos grandes.

Sabe aquela situação que você tem uma excelente ideia e precisa a aprovação de outras pessoas pra realmente colocar ela pra rodar, mas essas outras pessoas não concordam e você simplesmente deixa sua ideia de lado?

Eu sei porque eu já passei por situações como essa, sempre tentando encontrar alguém pra concordar comigo e pra me dizer: “Uau, sua ideia é incrível. Eu sei que você pode fazer isso, vai em frente!”

E o resultado é que na maioria das vezes eu não tive esse apoio e acabei engavetando um monte de ideias que talvez tivessem dado certo, ou tive que procurar ajuda.

Como quando eu decidi me casar com apenas 24 anos, e meus amigos mais próximos ainda estavam solteiros ou nem pensavam nisso.

Por esperar aprovação, e não a ter, eu fiquei por muito tempo em dúvida, se realmente deveria ou não me unir com a Dani.

Só resolvi essa questão quando procurei ajuda psicológica e a psicóloga me ajudou a organizar minhas ideias e entender o que eu realmente queria, casar.

Demorei anos pra sair dessa mentalidade, de que sempre eu preciso de aprovação antes de acreditar em mim mesmo e seguir em frente.

Pra aumentar minha autoconfiança eu fui me experimentando aos poucos em situações que me tiravam da zona de conforto.

E você pode fazer o mesmo, aos poucos.

Dance com seu filho no shopping, cante em voz alta na rua, vá a uma festa e se apresente pra todo mundo.

Se exponha ao “rídiculo” e perceba que isso não é o pior dos mundos, ou ainda, que esse pode ser o melhor dos mundos.

Assim, você vai passar a acreditar mais em você e colocar suas ideias em prática, por mais absurda que elas possam parecer aos olhos dos outros.

5) Fique longe de dívidas

Controle seus impulsos, por piores que tenham sido suas experiências quando criança ou adolescente, e use seu dinheiro com inteligência e equilíbrio.

Porque se endividar é bem fácil, mas sair das dívidas nem sempre é.

E é justamente por causa delas, ou do consumo impulsivo, que você pode não estar conseguindo trocar de carro, comprar sua casa própria, fazer aquela viagem que você quer.

Se você tem dívidas, se concentre em pagar todas elas pra então poder aproveitar a liberdade de fazer escolhas inteligentes com seu dinheiro.

6) Elimine as suas crenças limitantes

Você acredita que pode fazer R$ 50.000,00 por ano? Ou R$ 500.000,00 por ano? Ou R$ 10 milhões por ano? R$ 1 bilhão?

Somos ensinados desde que somos crianças o que é e o que não é possível fazer.

Quem nos ensina?

Nossos pais, professores e outras pessoas bem-intencionadas que simplesmente acreditam que estão fazendo o melhor por nós, mas sem terem certeza disso.

Por bem, acabam inserindo uma série de mensagem na nossa cabeça que limitam nossa criatividade, nossa confiança, nossa iniciativa, nossa ousadia, etc., mesmo sem saber que isso foi feito.

Passamos nosso tempo na escola estudando, memorizando e fazendo testes.

Somos ensinados a tirar boas notas, fazer uma boa faculdade, conseguir um bom emprego, economizar pra aposentadoria.

Mas e depois? Esta é uma boa pergunta.

Talvez tenhamos uma boa vida quando tivermos a segunda chance, e isso simplesmente não vai acontecer.

Acreditamos que precisamos de um chefe pra nos dizer o quanto podemos ganhar por ano.

Acreditamos que não há problema em alguém nos dizer quando podemos sair de férias.

Acreditamos que precisamos de uma universidade pra sermos alguém, e acabamos, com isso, limitando nossas ideias e nossa capacidade de enriquecer.

Por isso, se você realmente quer enriquecer, analise a si mesmo.

Quando for tomar decisões, pergunte porque você está escolhendo um caminho ao invés do outro.

Quando você dirige pro trabalho, se pergunte: “qual é meu propósito?

“Qual a contribuição que quero deixar nesse mundo? Ou pra minha família?”

Quando você tem ideias sobre a vida, férias, negócios, qualquer coisa, o que ainda te impede de agir de acordo com o que acredita?

Saia, se arrisque, jogue essas crenças no vento e você vai ficar surpresa(o) com o que pode realizar.

Conclusão

Alcançar a riqueza é, na verdade, muito mais fácil do que nós imaginamos.

O problema é que nós mesmos fazemos isso ser difícil.

Se nós apenas focarmos em nos mantermos no controle, deixando a nossa vida mais simples, enriquecer vai acontecer de uma maneira natural.

Por isso relaxe, se experimente, se relacione com pessoas que puxam você pra cima e confie em você.

A riqueza vai vir como consequência da sua felicidade.

E pra você, quais são as 6 leis da riqueza? Compartilhe comigo aqui embaixo nos comentários.