Mala de dinheiro simbolizando o que é ser rico.

Há alguns dias, enquanto eu estava tomando meu banho, me caiu uma ficha gigante que pode justificar o porquê de eu ainda não ser rico na proporção que quero ser.

Do porquê eu ainda não ter a quantidade de dinheiro suficiente para dar segurança financeira para minha família, sabendo que sempre teremos pelo menos o suficiente para nosso padrão de vida.

E mais, para termos liberdade de escolha. Podermos realizar nossos sonhos, fazer o que temos vontade em nosso dia-a-dia sabendo que o dinheiro usado para tudo isso não nos fará falta.

Foi um daqueles momentos que eu conversei comigo mesmo e pensei: “como que você não pensou nisso antes?”

Bom, tenho certeza que o momento para ter essa reflexão foi o melhor possível porque agora é que tenho as ferramentas necessárias para trabalhar essas questões internas e deixar que isso interfira em minha vida.

Confesso que no começo eu duvidei que isso poderia realmente estar interferindo na minha capacidade de enriquecer, de ser rico, mas pensando um pouco eu lembrei de muitos momentos que esse pensamento veio até mim e que mudou minhas atitudes.

Trago essa situação para que nós possamos crescer juntos e desbloquear nossos caminhos em direção à riqueza, à abundância, à prosperidade.

Espero que você queira seguir por eles…

O Pensamento

Pois bem, o pensamento que rodeou minha mente no banho, e em muitas situações, e que vinha limitando minhas ações foi: “se me faltar dinheiro algum dia, sei que posso pedir pro meu pai que ele vai me ajudar.”

Sim, pois meu pai tem uma boa renda vinda da sua empresa de contabilidade e sempre me ajudou quando precisei. Ou melhor, me ajudou até quando não precisei.

Imediatamente eu segurei esse pensamento na minha cabeça e comecei a refletir sobre ele. O que isso significa pra mim? Como eu adquiri essa crença e como ela interfere na minha vida? Como eu posso mudar ela?

Me fiz todas essas perguntas, e vou mostrar as respostas que tive aqui pra você, porque quero ser coerente com tudo o que escrevo nesse blog, demonstrando que falo de coisas que também aplico na minha vida e sinto os resultados.

Saiba que essas perguntas que fiz podem ser utilizadas por você, para descobrir o poder que suas crenças têm sobre sua vida.

Sei que você pode ter tido, ou ainda ter, uma situação completamente diferente da minha, vinda(o) de uma situação financeira não tão boa e, por isso, ter formado outros pensamentos.

Quero que isso não seja um impedimento para você seguir lendo meu texto porque o que escrevo aqui abaixo não tem relação com qualquer classe econômica, tem relação apenas com nosso autodesenvolvimento e enriquecimento das nossas famílias, independente do que ser rica(o) signifique para você.

Espero que você esteja curiosa(o) para ler minhas respostas, pois considero que algumas delas são bem curiosas, e até um tanto revoltantes, e você também pode se beneficiar dos aprendizados.

O que o pensamento que tive significa para mim?

Vou repetir ele aqui para relembrar: “se me faltar dinheiro algum dia, sei que posso pedir pro meu pai que ele vai me ajudar.”

De uma maneira bem breve, esse pensamento significa pra mim que eu não precisava (antes de resolver ele) me esforçar muito para fazer dinheiro por mim mesmo porque eu tinha algo fácil e seguro para quando eu precisar, meu pai.

É como se eu começasse um negócio mas não precisasse que ele realmente me gerasse dinheiro, e acabasse levando ele mais para o lado social, de cobrar pouco (ou não cobrar), e quando eu precisasse de dinheiro eu iria no meu pai.

Foi exatamente isso o que aconteceu por muitos anos da minha vida, fazia trabalhos pelos outros e não cobrava por eles, afinal, “não precisava do dinheiro”.

Inclusive, cobrar por um serviço ou produto meu era difícil e parecia que eu não era merecedor daquilo ou estava até prejudicando a outra pessoa.

Até minha esposa percebia, me falava, mas eu não conseguia resolver ou encontrar o que estava me atrapalhando.

Eu até podia fazer trabalhos voluntários, mas não usar meu negócio que deveria ser lucrativo e garantir parte da renda da minha família para isso.

É como se eu estivesse “sacrificando” eu e minha família pela minha incapacidade de ver o dinheiro como merecido e que poderia vir do meu trabalho.

Além disso, esse pensamento (crença) significava pra mim que eu tinha uma limitação financeira, o quanto meu pai podia me dar.

Olha só quão limitante essa crença pode se tornar, impedindo que eu atinja meus objetivos e me conduzindo para uma vida frustrada, sem saber exatamente o porquê.

Eu nunca conseguiria ser rico assim.

Mas de onde veio tudo isso? Como eu adquiri essa crença?

Como eu adquiri essa crença?

Assim que eu tomei consciência de todos esses significados, comecei a buscar quais foram as experiências que fizeram eu formar essa crença.

Comecei a lembrar da minha infância e adolescência, nas quais eu sempre tive tudo o que queria sem fazer esforço, muitas vezes sendo surpreendido com brinquedos que eu havia gostado em alguma vitrine, mas não necessariamente queria eles para mim.

Leia também: Criança imita seus pais, sejam eles bons exemplos ou não

Hoje como pai, sei porque meu pai fazia aquilo por mim e sei que tudo tinha uma excelente intenção por trás.

Ele jamais fez algo com o objetivo de limitar meu futuro e impedir que eu enriquecesse. Muito pelo contrário, acredito que tudo foi feito com o propósito positivo de que eu crescesse feliz.

Mas o fato é que eu acabei não aprendendo naquela época conceitos importantes para alcançar minha segurança e liberdade.

Não aprendi que o dinheiro pode ser produzido como fruto do meu trabalho.

Não aprendi que sou merecedor do dinheiro que os outros me dão em troca de um produto ou serviço que ofereço.

Não aprendi que eu não preciso depender de ninguém, que posso enriquecer seguindo meu próprio caminho.

O fato é que meus pais me ensinaram o que a experiência deles permitiu eles aprenderem e o que acreditavam que era certo.

Agora cabe a mim assimilar os conceitos não aprendidos e aplicar em minha vida, como já tenho feito há alguns anos.

A questão é que a culpa por eu e você ainda não estarmos na condição financeira que queremos não é nossa, e nem de ninguém, pois nossos pais ou pessoas de nossa referência só fizeram o que acreditavam que era certo.

Precisamos é assumir a responsabilidade e descobrir o que ainda nos segura para podermos liberar nosso caminho e alcançarmos o que queremos.

E mais, tomar consciência dessas questões para repassarmos aos nossos filhos de uma forma diferente, positiva e suprindo o que acreditamos que faltou em nossa criação.

Promover uma educação financeira de qualidade para os pequenos para que eles saiam na nossa frente e consigam viver uma vida mais dentro do que querem, podendo ser ricos se assim quiserem.

Leia também: 3 razões pouco conhecidas que fazem crianças ganharem milhõe$ e você não

Como dar mesada para seus filhos: o guia ABSOLUTAMENTE completo

Mas como eu resolvi esse pensamento em mim?

Como eu mudei minha crença?

De uma forma muito simples.

Ainda no banho eu fechei meus olhos e pedi para minha energia se conectar com a do meu pai e falei:

“Pai, eu agradeço por tudo o que você fez por mim e por todo o dinheiro que você me proporcionou, mas a partir de agora eu vou enriquecer pela minha própria capacidade. Claro que todo o dinheiro vindo de você ainda será bem-vindo, mas não será necessário.”

E de noite, antes de me deitar, eu escrevi tudo isso num diário que tenho, como forma de formalizar o que eu havia falado.

Isso me trouxe alívio, paz e um sentimento de libertação.

Foi como se eu tivesse dentro de um labirinto, esbarrando em paredes fechadas, e aparecesse um novo caminho cheio de possibilidades para eu chegar onde quero e ser rico dentro do meu conceito de riqueza.

Você pode fazer isso de outras formas? Claro que sim, como eu apresento nesse post, mas eu preferi fazer dessa maneira.

Você terá que encontrar a forma que fica melhor para você.

Caso você esteja pensando “mas isso ficou resolvido só fazendo isso?”, eu te digo que acredito que sim, no entanto, preciso de mais tempo para te dar certeza.

O fato é que desde então eu tenho conseguido rever meus comportamentos e optar pelo caminho da prosperidade, que realmente tratá mais riqueza e abundância para minha vida.

Resumo para ser rico(a)

Em resumo, caso você não esteja atingindo um resultado que deseja, comece a vigiar seus pensamentos e a tomar consciência para identificar o que ainda te segura.

Assim que descobrir o que é entenda o que significa para você.

Depois, se pergunte como seu pensamento ou crença foi gerado/formado e como interfere na sua vida hoje em dia.

Por fim, resolva isso dentro de si, seja ressignificando a crença, trabalhando ela com um psicólogo ou um terapeuta, ou fazendo como eu fiz.

Não importa o caminho, o que importa é você liberar sua vida para atingir seu máximo potencial e ser rica ou ser rico.

É uma vida plena o que você quer? Então trabalhe as crenças que ainda te seguram onde está.

Quais são alguns pensamentos “negativos” que você irá trabalhar daqui para frente?

Se o artigo ajudou, compartilhe nas suas redes sociais.