Sabe aquela história que dizem que aprender com os erros e acertos dos outros é mais barato do que aprender com os nossos?

Pois bem, é justamente para lhe ajudar na sua trajetória que hoje eu trago a história de vida de Fernando Augusto da Silva.

Um profissional que admiro muito e que superou muitos obstáculos para chegar onde está, e que ainda tem muito para crescer.

Além de ser um excelente coach, palestrante e vendedor, ele é meu amigo pessoal ao qual tenho muito carinho.

Decidi conversar com ele em função de um post que ele fez no facebook no final do ano passado, contando um pouco tudo o que ele teve que enfrentar desde que resolveu empreender.

Colocou à prova seu lado emocional, sua estrutura familiar, seu equilíbrio financeiro, teve que mudar suas crenças e aplicar o que ele oferecia aos seus clientes.

Mesmo que você não o conheça, sugiro que leia esse post, pois em meio à história de vida do Fernando há uma ferramenta incrível para mudar sua relação com o dinheiro e começar a enriquecer de verdade.

A superar qualquer crise financeira que você possa estar vivendo.

Daqui para baixo o texto é a transcrição de tudo o que ele me disse em nossa conversa, sendo as próprias palavras dele.

Me conte sua história profissional

Em 2015 eu comecei buscar caminhar com minhas próprias pernas e seguir o caminho do empreendedorismo.

Fiz um curso de Pós-graduação em Administração de Empresas e em paralelo fiz um curso de Practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e outro de Coaching.

A partir daí eu comecei a atender algumas pessoas gratuitamente para testar o que eu estava aprendendo, sendo que uma delas em específico pediu demissão do emprego logo na segunda sessão e resolveu seguir seu sonho de empreender.

E tudo isso porque eu a conduzi para chegar nessa descoberta.

Essa menina, Thais, voou depois do processo de coaching. Apresentou seu projeto na Fundação Getúlio Vargas e o presidente da instituição levou a ideia dela à um novo nível, muito além do esperado.

Isso pra mim foi chocante, ver o presidente da FGV dando esse apoio à ideia dela.

E hoje ela está na Holanda fazendo mestrado.

E assim foi com outras pessoas que eu fui ajudando ao longo do meu caminho.

Aí um dia eu pensei: “Tá, tô ajudando, ajudando, ajudando e eu?”.

Minha situação não estava nada confortável e eu estava sofrendo muito com essa escolha pelo empreendedorismo, principalmente em questões de “grana”.

Aquela frase “casa de ferreiro espeto de pau” estava fazendo muito sentido para mim.

Essa reflexão ocorreu bem na época do meu aniversário. Foi quando eu pensei: “Estou lendo muito, estou adquirindo muito conhecimento e não estou colocando em prática na minha vida, apenas aplicando nos outros”.

Aí minha esposa me perguntou o que eu queria ganhar de aniversário, e eu lhe disse que queria o livro “Quem pensa enriquece“. Já tinha ouvido muita gente falar dele e eu queria lê-lo.

Mas eu não queria esse livro para ser apenas mais um, disse pra mim mesmo que ia lê-lo e ia colocar em prática tudo o que ele orientasse porque só ler não estava me adiantando nada.

Só estava servindo para ajudar os outros, mas não ajudar à mim mesmo.

Foi aí que minha vida deu uma reviravolta.

Além do “Quem pensa enriquece, veja aqui minha lista de 7 livros que irão enriquecer você e sua família.

Quais desafios você superou?

O primeiro grande desafio que eu superei foi começar a aplicar na minha vida o que eu fazia com meus clientes de coaching.

Como comentei antes, eu conhecia as técnicas, mas não as aplicava. Comecei a aplicar em mim e comecei a ter resultados positivos.

E um dos pontos fundamentais foi entender minha relação com o dinheiro e mudar minhas crenças.

Aqui cabe uma história interessante.

Quando eu estava começando a empreender, eu me lancei nessa vida sem muito planejamento, e isso fez com que minha renda não fosse suficiente para suprir as necessidades do meu dia-a-dia.

Foi então que eu comecei a me apertar e pensei em voltar para o mercado de trabalho, com carteira assinada.

Estava conversando com meu pai sobre isso e ele me ofereceu ajuda financeira em retribuição à um dinheiro que havia dado para ele anos antes para injetar na empresa da minha família.

Eu nunca dei o dinheiro pensando que um dia me devolveriam, mas naquele momento eu aceitei porque eu estava precisando.

E esse foi um grande desafio, quebrar a crença de depender financeiramente dos outros para alcançar algo que eu acredito.

Além dessa, depois que vi um webinar sobre geração de riqueza, eu comecei a extrair do meu inconsciente ainda mais crenças financeiras que me bloqueavam, e foi aí que parece que fiz as pazes com o dinheiro e minha vida começou a deslanchar.

Quais estratégias você usou para superar a crise financeira?

Além das técnicas de coaching, nesse webinar que eu assisti o palestrante divulgou 20 frases e pediu para preenchermos com o que viesse na nossa cabeça, todas ligadas ao dinheiro.

Era realmente para extrair tudo o que estava no inconsciente.

Veja também essa lista de crenças financeiras que podem estar limitando sua vida.

As frases eram (se quiser pegue papel e caneta e faça o exercício também):

  1. Dinheiro é igual a …
  2. As pessoas ficam ricas porque …
  3. Gente com dinheiro é …
  4. Eu teria mais dinheiro se …
  5. As pessoas pensam que dinheiro é …
  6. Se eu for rico eu vou …
  7. Ter dinheiro não é …
  8. Se eu tivesse dinheiro …
  9. Pessoas pobres são …
  10. Pessoas ricas são …
  11. Pessoas ricas não são …
  12. Se eu ganhar dinheiro fácil …
  13. Quando eu tenho dinheiro eu normalmente …
  14. As pessoas são pobres porque …
  15. Dinheiro causa …
  16. Se eu for rico …
  17. Meu pai pensava que dinheiro é …
  18. Minha mãe sempre pensou que dinheiro seria …
  19. Quando eu era criança eu sabia quem eram as crianças pobres e as crianças ricas. Eu era uma criança …
  20. Ser rico significa …

Quando eu preenchi tudo isso eu até fiquei com vergonha, pois eu não imaginava que pensava tanta coisa ruim a respeito do dinheiro.

Fiz isso com a minha família e consegui perceber um padrão em mim e nas minhas irmãs.

Tínhamos a crença de que “o importante é ter o suficiente“. O que for além disso não precisa ficar conosco, ou seja, dávamos um jeito de gastar.

E foi ao tomar consciência disso que eu consegui começar a mudar.

Comecei a gerar oportunidades de divulgar e oferecer meu trabalho de formas que me trouxessem retorno e aí meu negócio cresceu.

Continuei com meus processos de coaching, mas desenvolvi um coaching em grupo que me trouxe e ainda me traz muito resultado, iniciei algumas consultorias em vendas e comecei a falar com um público que eu realmente conhecia à fundo, pois já estive dentro do mercado deles, os protéticos.

Inclusive criei um curso online específico para esse público.

E tudo se iniciou com uma mudança mental, olhando para dentro de mim mesmo.

O que o dinheiro representa na sua vida?

Hoje o dinheiro representa para mim sobrevivência.

Eu quero ter dinheiro para ter possibilidades, esse é o significado que dou pra ele, mas hoje ele representa sobrevivência.

Eu preciso “matar um leão por dia” para manter meu padrão de vida e o da minha família, ainda tenho dívidas para quitar, mas tenho a mentalidade de que ele é bem-vindo e sei que estou fazendo o possível para reverter essa situação o mais rápido possível.

Parei de afastar ele.

Qual é seu próximo objetivo financeiro?

Fazer R$ 50.000,00 por mês.

Se eu fizer essa quantia em apenas um mês agora em 2018 já considerarei atingido.

Para isso, estou vendendo meu curso online, programas de coach (individual e em grupo) e dando meus cursos.

Qual é a maior lição que você aprendeu sobre dinheiro?

Tratar bem o dinheiro.

Tratar como algo importante, como algo que me ajuda a realizar meus sonhos.

Caso contrário, dificultarei que ele chegue até mim.

Qual é sua grande dica para quem quer superar qualquer crise financeira?

Se abrir com pessoas de confiança para buscar caminhos que você ainda não consegue enxergar.

No livro “Quem pensa enriquece” me marcou uma passagem que o autor diz que se você não tem algo na tua vida é porque você ainda não tem o conhecimento para ter esse algo.

Eu diria que isso é humildade para falar que você se encontra numa determinada situação e quer apenas se abrir.

Busque ajuda com aqueles que podem ter o conhecimento que você precisa.

E essa foi a história do Fernando.

Gostou? Se inspirou? Fez o exercício?

Compartilhe comigo aqui abaixo o que achou do post e os resultados do exercício, caso tenha feito.